São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Home
February 10, 2017 - 06:00

EDITORIAL: Pele de cordeiro - 10/02

Era uma vez um reino muito distante, onde velhos lobos em pele de cordeiro comandavam o destino de milhões de pessoas. Para aquela alcatéia, o mais importante era perpetuar-se no trono ou pelo menos no entorno do palácio, localizado em uma região de planalto.

Lá, naqueles nababescos aposentos, podiam se empanturrar com o banquete delicioso, regado ao melhor vinho. Tudo pago pela plebe, que parecia adormecida e resignada, com fome e sede, distante daquele mundo encastelado. Enquanto os lobos uivavam, todos virados para a Lua, a panela do povo estava vazia.

Ao longe, era possível ouvir o coro uivante daquela alcatéia de (nada) nobres: ‘eu sou o lobo mau, lobo mau, lobo mau, lobo mau, eu pego as criancinhas para fazer mingau!’, cantavam em uníssono virados para a Lua. ‘Hoje estou contente, vai haver festança. Tenho um bom petisco para encher a minha pança’, dizia a cantiga.

Personagem criado séculos atrás, presente em histórias dos Irmãos Grimm e inúmeras fábulas folclóricas, o Lobo Mau poderia facilmente ter sido pinçado do cotidiano político brasileiro. A vida imita a arte.

Em meio a esse ‘apagão’ ético e moral que atinge o seio da democracia brasileira, nós vemos diariamente vilanias absurdas sendo praticadas por esta alcatéia de lobos em pele de cordeiro. Há algumas histórias em que o protagonismo recai sobre o Lobão. Esta semana, por exemplo, com o apoio decisivo de velhas raposasda nossa política, como ossenadores peemedebistas Renan Calheiros (aquele) e José Sarney, o senador Edison Lobão (PMDB-MA), investigado na Lava Jato comoseus correligionários,foinomeado presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Casa.

A comissão tem, entre outros, o dever de sabatinar Alexandre de Moraes, indicado por Michel Temer (também citado) para o STF (Supremo Tribunal Federal), onde vai ocuparo posto de revisor da Lava Jato. Deve ser coincidência. Ou mais uma história para boi dormir.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade