São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Motor
August 7, 2011 - 04:10

Prisma é bom de vendas

Modelo Chevrolet de cara nova se consolida como quarto sedã compacto do mercado

Nenhuma montadora aposta tanto em sedãs no mercado nacional como a Chevrolet.

Em quase todos os nichos há uma opção da marca: Classic, Prisma, Corsa sedã, Astra sedã, Vectra, Malibu e Omega.

E, em breve, desembarcam por aqui novidades como o Cobalt --para substituir de uma só vez Corsa e Astra-- e o Cruze sedã para o lugar do Vectra, enquanto espera-se que o Prisma se torne um substituto natural do Classic.

Evidentemente, os modelos mais caros têm vendas menos expressivas, mas cumprem a função de associar à marca uma imagem de luxo. Já os mais baratos apresentam números mais robustos.

É o caso do Chevrolet Prisma. Renovado em fevereiro, o modelo se consolidou como o quarto sedã compacto do mercado, com uma média de 4.370 unidades/mês no primeiro semestre. No topo dos mais vendidos está um "fogo amigo".

Trata-se do Chevrolet Corsa sedã/Classic, com 10.335 carros/mês no mesmo período.

Na sequência estão Fiat Sie na (8.366 unidades/mês) e Volks Voyage (6.697 unidades/mês).

Para engordar as vendas, o Chevrolet Prisma mira no bolso do consumidor. A versão superior, a LT --com motor 1.4 litro--, representa basicamente 99% das vendas do modelo e parte de interessantes R$ 32.439. O 1% restante fica a cargo da versão LS, com motor 1.0 litro.

É claro que, para chegar a este preço, o sedã não oferece grande luxo ou vasta oferta de equipamentos.

Ou seja, nesta versão de entrada não há ar-condicionado (com ele o preço sobe para R$ 35.050), direção hidráulica (vai para R$ 36.094) e vidro elétrico nas portas dianteiras --atinge R$ 36.958.

Não existem sequer itens de segurança como freios com ABS ou airbags. Na verdade eles não constam nem na lista de opcionais.

Além do preço, outro atrativo do Prisma é o visual contemporâneo.

No interior, sempre muito criticado pela simplicidade, a GM do Brasil resolveu emprestar um aspecto mais sofisticado. Nada que transforme o carro em um modelo luxuoso, mas que pelo menos ajuda a melhorar a imagem do Prisma.

Lá estão quadro de instrumentos com novos grafismos e iluminação na cor Ice Blue --assim como no Agile--, novo volante com a gravata dourada maior, botões do sistema de ventilação remodelados, bancos com nova padronagem de tecido, entre outros detalhes pequenos.

Publicidade
Publicidade
clique para saber mais