São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
REGIAO
February 17, 2017 - 10:10

Sem cota oficial, vereador busca serviços no 'varejo'

Câmara São José

Foto: Lucas Cabral/CMSJC

Parlamentares têm pedido serviços como capina e poda de árvores para agradar os redutos eleitorais

João Paulo Sardinha
São José dos Campos

Em tempos de orçamento restrito, vereadores da base aliada em São José dos Campos sabem que dificilmente conseguirão recursos para grandes obras em seus redutos eleitorais. Diante desse cenário, os parlamentares apostam no "varejo" político, recorrendo a pequenos serviços de manutenção.

Vereadores tentam capitalizar apoio da comunidade onde atuam tomando para si a responsabilidade pelo trabalho de capina, roçada e pode de árvores executado pelo governo Felicio Ramuth (PSDB).

Em seus canais de comunicação, o grupo de parlamentares publica diariamente fotos de serviços executados pela prefeitura. Na legenda, é comum frases como "atendendo a nosso pedido" ou "mais uma solicitação atendida".

Nos 16 anos de governos tucanos, entre 1997 e 2012, vereadores da base aliada contavam com cotas informais de verbas destinadas a obras nos bairros onde possuem redutos eleitorais.

Na gestão Carlinhos Almeida (PT), essas cotas deixaram de existir por conta da crise que afetou os cofres públicos. Antes fixada em R$ 800 mil, acabou sendo reduzida para R$ 500 mil no primeiro ano do governo do PT. Em 2014, ela acabou cortada.

No governo Felicio, houve ainda a contenção de até 15% dos gastos das secretarias, fato que terá influência direta na partilha de benefícios entre os parlamentares da base aliada da gestão tucana.

Ofícios. O vereador Roberto do Eleven (PRB), que apoia o governo Felicio Ramuth, diz que o papel do vereador não é pedir serviços de manutenção, mas, quando procurado pelos moradores, ele precisa direcionar os pedidos à prefeitura.

"Pode até não existir cota, mas tenho pedido mais vagas em creche e obras ligadas à saúde. Não sei se serei atendido, mas peço obras também", afirmou o vereador. Cortar grama não é serviço de vereador, mas a gente acaba correndo atrás por conta da necessidade dos moradores. Ninguém melhor que os vereadores para saber o anseio da comunidade", completou.

Vaga. Pedidos de vaga em escolas da cidade também fazem parte deste trabalho de "varejo". Só em 2017, foram apresentados na Câmara 66 pedidos de vaga em unidades da rede municipal de ensino.

Demandas por cirurgia são recorrentes na Casa também. Nesta legislatura, foram 28 pedidos apresentados, sem levar em conta os ofícios para marcação de consultas médicas.

A Prefeitura de São José defende esse trabalho feito pelos vereadores (confira texto nesta página).

Gestão Felicio diz que atuação parlamentar é legítima

A Prefeitura de São José dos Campos, por meio de nota, disse que o trabalho exe cutado pelos vereadores é legítimo.

"Os vereadores são eleitos para representar a comunidade. Eles apresentam à prefeitura as demandas dos bairros que atuam", declarou.

De acordo com o governo Felicio Ramuth, a ajuda dos parlamentares é essencial neste momento em que o município foi encontrado em "estado de abandono".

"Como a cidade estava em total estado de abandono, é grande o pedido de roçada, capina, poda de árvores e outros serviços de manutenção por toda a cidade. A prefeitura segue o seu próprio cronograma, procurando atender com prioridade as regiões mais distantes, que mais precisam desses serviços", afirmou.

Apoio. Felicio ganhou a eleição em outubro do ano passado com o apoio de nove dos 21 vereadores eleitos. Neste momento, o tucano é sustentado por 17 parlamentares da Casa. Com esse apoio, a administração não terá dificuldades para aprovar projetos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade